Últimas Postagens
Loading...
agosto 31, 2011

Amigo é um presente

“Amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito, dentro do coração.”

Assim fala a canção, mas metáforas à parte, eu diria que amigo é para se guardar na alma, dentro de uma caixa que chamamos de cérebro.
Amigo é aquele que sempre está presente, mesmo não estando, pois quando se guarda um amigo dentro dessa magnífica caixa guardamos também suas palavras, seu tom de voz, seus gestos, palavras essas, às vezes de aconselhamento, compreensão, outras vezes nos trazendo à realidade, e em outras comungando de nossos sonhos e ideais. Amigo é quase uma parte de nós, aquela parte que não saímos à procura, acontece de chofre, sem que precisemos ir em busca. Amigo acontece. Amigo quase sente o que sentimos, é como se estivesse dentro de nós, quase numa simbiose, é aquele que perdura por toda uma vida ou várias vidas sem que percebamos ao certo, mas que de uma maneira ou de outra identificamos.

Amigo do peito é na verdade amigo da alma, feliz quem tem um amigo, mais feliz ainda quem tem dois, ou três, e não importa o quão distante estamos dele, a um simples chamado eis que ele vem, e não necessariamente presencial, pois ao menor chamado daquela nossa caixinha ele estará ali, “espectralmente” presente.

Nesses novos tempos de tecnologia avançada criamos os “amigos virtuais”, aqueles que não estão no lado esquerdo do peito, e sim no lado esquerdo da tela do computador, exatamente onde fica o tal do MSN. Cada qual com suas fotografias digitalizadas, não amareladas pelo tempo, sempre vivas e coloridas, porém sem vida, estacionadas ali sem que em momento algum nos proporcione o contato físico, e como num passe de mágica de repente ela (a imagem) some, a dar lugar a um outro “amigo”. Essa é a tecnologia da amizade virtual, a tecnologia da quantidade, e não da qualidade.

Amigo do peito... Que prazer eu sinto em ter provado desse amigo nos dias da minha vida, que felicidade poder levá-lo comigo dentro da minha alma pelo resto dos meus dias. Sim, amigo é para se guardar, guardar dentro daquela caixinha como uma jóia rara, de grande quilate, e saber que por mais que o tempo passe, essa jóia estará sempre intacta, sempre brilhando aos nossos olhos. Se você tiver a sorte de ter uma jóia assim, valorize-a, pois saiba que mais dia, menos dia, você vai precisar estender sua mão para alcançá-la na caixinha, e tenha certeza de que ela estará sempre lá, sem perder o seu real valor.

***Mesmo que o tempo e a distância, digam “não”
    Pois seja o que vier, venha o que vier,
    Qualquer dia amigo eu volto a te encontrar,
    Qualquer dia amigo, a gente vai se encontrar.



***Trecho de Canção da América, de Milton Nascimento e Fernando Brant


Texto: Geraldo Ráiss

1 comentários:

  1. Amigo é isto mesmo, Geraldo. Você será sempre o meu querido amigo, emoldurado em meu coração. Faz muito tempo que não nos vemos, mas a sintonia não termina. Quando leio seus artigos, sinto muita saudades de nossas conversas.
    Desejo-lhe tudo de melhor que puder te acontecer......

    um grande beijo,

    Vera

    ResponderExcluir

Atenção. Os comentários no Blog estão temporariamente sem moderação. Não use frases racistas, discriminatórias, contra etnias, ou palavras que incitem à violência. Esse é um blog de entretenimento, comentários devem ser feitos, mas seja educado. E, por favor, não faça spam. Obrigado.