Últimas Postagens
Loading...
setembro 03, 2011

De alguns anos para cá, com a elevação da temperatura do planeta podemos dizer que já estamos nos habituando com as catástrofes naturais, tanto no Brasil como no resto do mundo. Mas vamos falar do nosso país.

O estado de Santa Catarina sofreu com enchentes e deslizamentos, tragédia por todos os lados, a região nordeste também passa pelo mesmo problema, e recentemente o estado do Rio de Janeiro, com mais de trezentas mortes. Pois bem, quem de nós consegue ficar alheio a tanta tragédia? Acredito que a maioria da população se entristece, e esse estado de entristecimento leva a todos a um só sentimento, o de solidariedade. Como eu disse no início do texto, parece que já virou hábito pensar em alguma forma de ajudar todas essas pessoas que todo ano enfrenta tragédias, e existe até quem já vai guardando roupas e todo tipo de material, já sabendo do seu destino. Solidariedade antecipada! Você já tinha imaginado que um dia chegaríamos a esse ponto? Chegamos.

Entretanto eu gostaria de fazer uma outra pergunta. Será que também já nos habituamos com uma palavra, eu diria “indecorosa e indecente”, o tal do desvio de recursos? Eu não! Lembro que na época da catástrofe em Santa Catarina a mídia noticiou e até divulgou imagens de pessoas roubando roupas e alimentos, que seriam destinados às vitimas. Imagens chocantes e indecentes. Acredito que em outras situações, como no estado do Rio de Janeiro, não tenha sido diferente, tanto é que esta semana a mídia noticiou mais uma vez que o destino da verba enviada pelo Governo, para ajuda a Teresópolis, está sendo investigado, ou seja, mais uma vez o tal do desvio.

Meu Deus! Será que a ganância de certas pessoas supera o desejo de auxílio ao semelhante? Enquanto uma parcela da população se consterna com o sofrimento das pessoas, chegando em muitos casos até a se deprimirem, grupos pequenos sem caráter (para não dizer coisa pior) só alimentam em suas mentes corrompidas o desejo pelo “lucrar de alguma forma”, não importando os meios? Até quando teremos que ver nossa solidariedade ser corrompida por esse tipo de gente?

E a coisa não para por aí. Onde andam os planos diretores das grandes metrópoles, que permitem construções em áreas de risco, ou em lugares que deveriam ser preservados? E não me venham dizer que isso só acontece com a população pobre, pois já vimos outras áreas com mansões edificadas serem destruídas. Certamente que os mais pobres são sempre as maiores vítimas, mas há as exceções, e por quê? Bem, a resposta acho que todos já sabemos.

E finalmente eu me questiono “será que vale a pena praticar a solidariedade, num país onde a corrupção ronda em todos os níveis?” E no momento seguinte eu me respondo: sim, vale sempre a pena ir em auxílio de quem precisa, não importa se mais tarde vier o desapontamento, pois a sensação do dever cumprido, aliada ao nos sentirmos útil, é uma virtude que não tem preço. E deixemos que a vida cobre dessas pessoas abjetas o seu devido preço, o que eu posso garantir: será alto!

Texto: Geraldo Ráiss

0 comentários:

Postar um comentário

Atenção. Os comentários no Blog estão temporariamente sem moderação. Não use frases racistas, discriminatórias, contra etnias, ou palavras que incitem à violência. Esse é um blog de entretenimento, comentários devem ser feitos, mas seja educado. E, por favor, não faça spam. Obrigado.